Volta às aulas: adaptação e readaptação escolar


Categoria: Artigos
Publicado em:

Na última semana de janeiro, as famílias se preparam para readaptação à rotina escolar. É um momento muito especial para as crianças, familiares e educadores. Início de um novo ano, novas experiências e descobertas, que podem gerar sentimentos de euforia, ansiedade e insegurança. E mesmo para as crianças que já frequentam a escola, a volta às aulas requer uma adaptação, pois no período de férias as crianças mudam a rotina.

Após as férias, como retornar para uma nova rotina com tranquilidade e segurança?

Atitudes que podem facilitar o retorno às aulas:

  • Cumprir os horários determinados pela escola;
  • Conhecer a rotina e os horários da escola;
  • Conversar com a criança, contando o que está acontecendo, passando segurança na voz e na postura;
  • Compreender que a socialização e todas as oportunidades de aprendizagem que a escola praticará com a criança, serão muito benéficas para o desenvolvimento infantil;
  • Compreender que a escola oportuniza rotina, situações desafiantes de aprendizagem e a regularidade das pessoas que educam e cuidam dos pequenos.

A psicóloga e diretora da Trilha da Criança Centro Educacional, Ana Paula de Rezende Bartolomeo, explica que adotar uma rotina de horários na semana anterior ao início das aulas é positivo, principalmente para as crianças que estudam pela manhã se acostumarem a dormir e acordar mais cedo.

“A família deve sempre incentivar as crianças a pensarem na escola de forma positiva, como um local de novos aprendizados e convivência com os amigos”, afirma. Outra forma de estimular a volta às aulas com menos é envolver a criança na preparação com o uniforme e o material escolar. “É importante que essa preparação seja feita em conjunto, afinal, a volta às aulas mexe com a rotina de toda a família.”

Para os pais, é fase de expectativas e receio. É como iniciar um novo trabalho ou quando vamos a algum lugar que não conhecemos.  Confira abaixo algumas dicas e cuidados da psicóloga Ana Paula Bartolomeo para orientá-los nesse processo.

Vínculo de confiança

Dizer para o seu filho que você vai sentir a falta dele é carinhoso e verdadeiro. Mas também é preciso dizer que a escola é um lugar bacana, em que você confia muito e ressaltar o lado bom de estar ali. De preferência, deixe que a criança entre andando e se despeça com naturalidade. Evite voltar em caso de choro ou necessidade de passar recado. O ideal é utilizar sempre a agenda. Se necessário, telefone ou aguarde na pracinha da escola para falar presencialmente. Também é recomendável evitar perguntas ou comentários na presença da criança.

Ajuste os horários

Readapte os horários gradualmente. Se a criança vai para a escola pela manhã, acorde-a 40 minutos antes do horário regular. No dia seguinte, 30 minutos, depois, 20, 10, até chegar á hora certa. Para as crianças que estudam à tarde, vale fazer o mesmo processo, só que para ajustar o almoço.

Pontualidade e assiduidade

Seja pontual, tanto na chegada quanto na hora de buscar a criança. Esse cuidado é essencial, especialmente se já possui vínculo com os colegas, o que pode estimular e facilitar a readaptação. É muito importante também não ceder ao pedido de não ir à escola.

Presença parcial dos pais

Em casos específicos, é possível o acompanhamento dos pais durante a adaptação ou readaptação. Converse com a Coordenação sobre essa necessidade.

Na ausência da mãe

Deixe que a criança leve um objeto ou brinquedo significativo (objeto transicional), para que ela possa buscar conforto e segurança.

Vá com calma

Mudanças bruscas devem ser evitadas durante o período de adaptação e readaptação, como retirada de fraldas, bico ou mamadeiras.

O mais importante é respeitar o ritmo de cada criança. Seguindo essas recomendações, é possível fazer dessa experiência uma memória positiva para toda a família.