Pais na Trilha propõe debates relevantes para o desenvolvimento infantil


Categoria: Trilhar Virtual
Publicado em:

A Trilha da Criança estimula a parceria família-escola como ferramenta essencial para efetivar o projeto educacional. Várias atividades são desenvolvidas com o objetivo de promover essa integração. Entre elas, o Pais na Trilha, que trata em conjunto de temas relevantes que envolvem o desenvolvimento infantil.

No primeiro semestre deste ano, a escola promoveu quatro palestras sobre limites, inteligência emocional, sono e uso de chupetas e mamadeiras. Todas com grande participação e envolvimento dos pais.

A palestra que abordou o uso de chupetas e mamadeira foi ministrada pelas fonoaudiólogas Dra. Luciana Donato e Dra. Isabela Galo. De acordo com elas, “a proposta foi promover um trabalho preventivo, já que, na maioria das vezes, o atendimento fonoaudiológico resulta de desvios provocados pelo uso prolongado destes itens. Em vários casos, o tratamento se torna mais longo e demanda maiores custos, já que envolve otorrinos e odontopediatras”.

As profissionais apontaram que atividades lúdicas são de extrema importância no processo de retirada da chupeta e mamadeira. Existem muitas maneiras de fazer isso, que vão variar conforme a idade da criança. Algumas têm a necessidade de sugar até os dois anos, dois anos e meio. Após essa idade, o uso prolongado da chupeta e mamadeira pode gerar danos no desenvolvimento das estruturas orofaciais. A partir dos 24 meses, a criança já entende, por meio de conversa franca e honesta, que o uso da chupeta e mamadeira não faz bem. “Nesse momento, o lúdico é o nosso maior aliado para a retirada”, explicam as fonoaudiólogas.

“É importante ressaltar que os pais não devem permitir que a criança sofra em nenhum momento do processo de retirada. Utilizar frases positivas e de encorajamento ajuda na transição”, destacam.

Já a palestra que encerrou o semestre letivo teve como tema “Os desafios do sono de zero a seis anos de idade”. A educadora parental especialista em sono infantil Lívia Praeiro ressaltou que a qualidade do sono está relacionada à rotina. É muito importante que a criança durma bem e, para isso, é necessário equilibrar aspectos fisiológicos e emocionais. “A criança precisa ter horário para dormir e, consequentemente, para acordar. Manter uma rotina é importante para que o hormônio do crescimento possa agir”, explica a especialista. Além disso, as atividades desenvolvidas durante o dia também influenciam no sono. “As sonecas diárias para as crianças menores são essenciais para o descanso durante o dia. E isso ajuda na qualidade do sono da noite”, esclarece.

Outro fator que influencia no sono é querer a companhia dos pais. “Muitas vezes, o sono da criança é prejudicado pelo desejo de ficar próxima dos pais. O período da noite é o momento que ela tem para brincar com pais e reivindicar sua atenção, daí se originam as ‘brigas’ para não dormir”, destaca Lívia.

A falta de sono traz muitas consequências à saúde da criança. “Distúrbio de humor e falta de atenção são alguns dos danos. Por isso, é importante estar atento às rotinas e atividades dos filhos”, finaliza.

Dica das fonoaudiólogas:

O ponto chave de todo o processo é identificar se o filho pede a chupeta e/ou mamadeira por tédio, tristeza, raiva ou ansiedade e tentar suprir as necessidades emocionais da criança com carinho, atenção e colo.

Dica da especialista em sono:

Ultimamente, as pessoas não têm um horário certo para dormir e vão para cama cada vez mais tarde. Porém, é importante que a criança tenha e siga a própria rotina e não seja influenciada pelo hábito dos pais.